Para quem dispõe de apenas alguns poucos dólares por mês, investir no mercado de capitais nos Estados Unidos sempre foi um sonho distante. Não mais. Graças ao aplicativo Stash (https://www.stashinvest.com), com 5 dólares já é possível aplicar em fundos negociados na Bolsa de Nova York – e de maneira, digamos, muito divertida. A Geração Y está adorando.

O Stash pressupõe que seus clientes não entendem nada sobre o mercado e, para facilitar a vida – e as escolhas – de cada um deles, oferece somente 36 tipos de investimentos. Sua preocupação é com o meio ambiente? Que tal o “Clean & Green”, codinome do fundo iShares Global Clean Energy ETF? Quer investir em redes sociais? “Social Media Mania” é o mais recomendado: o fundo dá acesso ao Global X Social Media Index ETF, que acompanha Facebook, Twitter e LinkedIn. Tem também o “Roll With Buffett” – se a ideia é acompanhar as “tacadas” do presidente da Berkshire, Warren Buffett, de 86 anos.

Na sexta-feira passada, o Stash comemorou seu primeiro aniversário. Com 10 mil novos usuários cadastrados a cada semana, sua carteira já ultrapassou a marca de 215 mil nomes. Se continuar nesse ritmo, a base de clientes deverá dobrar nos próximos seis meses. Em tempo: os usuários do app têm em média 28 anos com salários mensais que não chegam a US$ 4 mil. Muitos são funcionários da rede varejista Walmart, das empresas de serviço postal norte-americano, motoristas da Uber e, igualmente em bom número, militares.

Com capital inicial de pouco mais de US$ 12 milhões e 25 funcionários, o Stash funciona numa única sala de um prédio localizado na área central de Nova York. O aplicativo se mantém com a cobrança de uma taxa de administração mensal de US$ 1 dos usuários e uma taxa anual de 0,25% sobre contas com mais de US$ 5.000. Os primeiros três meses de uso são gratuitos. Por enquanto.


Ricardo Largman, jornalista formado pela PUC-RJ em 1982, é crítico de cinema, consultor de Comunicação e assessor de Imprensa do Instituto IBMEC.